domingo, agosto 02, 2009

Eu sei

Eu sei que eu devia escrever mais neste blog. Contar um pouco mais do que acontece aqui, devanear um pouco mais sobre o tudo ou sobre o nada e fazer umas piadas no meio do texto.

Mas não sai. Não consigo organizar minha mente para produzir textos, pra elaborar tudo o que tenho dentro da cabeça e não sai e o nada que tenho dentro de minh’alma que se esvai.

Eu sei que eu devia fazer mais coisas. Mais cursos, mais textos, mais viagens, mais compras, mais limpezas, mais amores, mais brincadeiras, mais conversas, mais trabalho, mais alegria e mais vontade. Eu devia fazer mais vontade. Mas não sai.

Eu acho que sei o porque disso tudo mas a verdade é que se me perguntassem não saberia dizer. Nada disso me é estranho e me surge como algo surpreendentemente novo.

Queria dizer que é um ciclo. É um ciclo. Relendo meu próprio blog eu percebo este ciclo claramente ao longo dos anos. Não é uma questão de como, quem, onde, quando, por que ou com quem. É só uma questão de o quê.

E o que é isso. Falta de palavras que digam por mim o que não sai de dentro espontaneamente.

O que mais me assusta é que não estou só. Nunca estive fisicamente nem emocianalmente. Mas descubro que a situação é mais conjunta do que parece. Infelizmente para todos em conjunto, mas felizmente para todos individualmente.

Não é bom se sentir só.

2 comentários:

m disse...

pedrinho, entendo entendo entendo muito. e tb eh uma coisa que se agrava qnd passamos muito tempo dentro da propria casa tb, eu acho. pelo menos comigo eh assim, ver o dia la fora tira o mofo e da uma inspirada.

Julieta Abiusi disse...

Às vezes caio nesses círculos tb. Caía, acho. Pq tem tempo q não caio. E muito, muito tempo que não tenho vontade de cair num (pq às vezes a gente cai por vontade)
Atualmente, meu mantra é uma frase do Sabato, q me ajuda a tirar as poeirinhas e traçar uma linha mais reta. Quando começo a sentir a tentação do círculo, repito "no es una resignación a lo valioso, sino un renunciamiento a lo innecesario".
E bola pra frente que pra-trás-não-dá-mais!